sábado, 7 de agosto de 2010

Recomeço(?)

Cedo ou tarde chega uma hora em que você se liberta. De alguma forma sente que algo não está certo, e que alguma coisa precisa mudar. Então você troca suas roupas no armário, queima as cartas que escreveu e nunca enviou, apaga contatos da sua lista telefônica e muda as musicas no seu mp3.
Vira a página. Começa do zero.
E aos poucos tudo parece estar dando certo, aquela sensação de limpeza e de novo te invade. Você nunca se viu tão bem. Logo suas frases deixam de ser melancólicas e cabisbaixas e passam a ser narcisistas, amantes do próprio rosto e da própria personalidade.
Mas para os cegos o espelho, uma hora, se torna cansativo, e chega a hora de se aventurar e encontrar outro porto. Querendo seguir em frente, acabamos voltando para nossa estrada de mão única do amor, corremos cantarolando aquelas musicas antigas que insistem em te acompanhar.
Eis que no meio do caminho, sentimos o gosto da lágrima como uma aposta perdida. Uma promessa não cumprida.
Voltando, você percebe que tudo continua exatamente onde devia estar. Seu coração foi formatado, mas de alguma forma, encontrou o backup.
E no seu antigo e verdadeiro mundo, sentado, você tenta fugir, então começa a escrever. Mas não te envergonhes. É no teu papel que reside tua força, e ela vai até você conforme é rasgada pelo lápis, outra vez, você se entrega e volta pro mundo que saiu. E vive com magia tudo o que é te dado em preto e branco.

14 comentários:

  1. Perfeito, cara! *0*
    Não sei como você ainda vive dizendo que não escrever bem.
    Vá entender? u_u'

    ResponderExcluir
  2. bem bonito! suave e forte, como o vento?

    ResponderExcluir
  3. É isso aí thiago. Isso é inerente ao homem, a sensação que pode sempre jogar o passado para o vento, e se deixar tocar por novos ares. Não sei se isso é possível deveras, mas deixe, deixe que sintamos assim... / pedrinho

    ResponderExcluir
  4. "Voltando, você percebe que tudo continua exatamente onde devia estar. Seu coração foi formatado, mas de alguma forma, encontrou o backup."

    Há voltas inevitáveis. Nós só decidimos quantas voltas queremos dar antes de retornar.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. É surreal a tua capacidade de por em palavras o que eu sinto, e que pelo visto não é só meu.
    Gosto muito mesmo daqui!

    ResponderExcluir
  6. Pois é, gostei de todos os detalhes, exemplos e comparações. O 'hard disk' do meu coração já está se danificando de tanta formatação e ainda passo um Recuva pra piorar a situação, rs.
    Mas, essa coisa de mudar as músicas do mp3 é bem válida. Tem funcionado comigo.
    Amores novos, fases novas e até fossas novas merecem músicas novas.


    ;]

    ResponderExcluir
  7. Como uma vida... tudo um dia... se vai... Mas oomo um milagre surgem novas vidas.. novos sonhos...

    ResponderExcluir
  8. Tenho
    orgulho em dizer que vc é meu amigo, Thiago....
    Lindo texto

    ResponderExcluir
  9. Lesadinho poeta q amo taanto <3

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. eu adimiro meus amigos
    mas de vc sou ate fã rsrsrrsrsr...
    *parabens
    meu filosofo te adimiro.Desejo que em tempos futuros possa voltar a desfrutar da sua agradavel presença no meu dia a dia ,vc e tao especial que ate sua ausencia faz presença em meu coraçao .sou dificil de falar porem aproveitando a oportunidade estou aqui pra te dar meus agradecimentos por tudo que vc ja contribuiu em minha vida,experiencias q vc mesmo neim imagina que teve influencia.
    te desejo um futuro brilhante e muita inspiracao em futuros textos que servem de cachoeira pra 'lavar sentimentos puramente humanos.
    Beijos,
    aos cuidados de Rafaela //Rah

    ResponderExcluir